Author Archives: Garbor in Company

3 simples passos para ter funcionários comprometidos

Resumo: Existem 3 simples passos para ter funcionários comprometidos, que qualquer empresa pode aplicar para melhorar os resultados da  equipe no próximo trimestre. E é sobre esses passos que vamos falar neste post.

__________

 

Você gostaria que seu funcionário fosse mais comprometido com a produtividade e tivesse melhores resultados que refletirão na sua empresa mesmo em tempos de instabilidade econômica?

 

E se eu disser que isso é possível se você seguir apenas 3 simples passos, que vou te mostrar agora neste post. Parece interessante não é mesmo?

 

Então, continue comigo e veja se isso é familiar no seu dia-a-dia.

 

Diariamente em minhas conversas com empresários, gerentes de Recursos Humanos e Técnicos de Segurança, me deparo com quase as mesmas dificuldades, quando o assunto é o funcionário.

 

De um modo geral, todos esses problemas estão relacionados à:

 

  • Falta de comprometimento;
  • Desmotivação;
  • Baixa produtividade;
  • E, em casos mais sérios, acidentes de trabalho (por falta de atenção)

 

Muitas vezes, quando o funcionário não consegue separar o lado pessoal do lado profissional, os problemas familiares acabam interferindo e prejudicando o seu desenvolvimento dentro da empresa.

 

Isso acontece pela falta de conscientização em relação as suas obrigações e deveres na construção de resultados pessoais e profissionais para a empresa na qual trabalha.

 

A família é um dos pilares mais importantes das nossas vidas, e é normal agirmos com emoção, afinal, como é que o seu funcionário pode ir trabalhar bem, sabendo que o seu filho esta doente ou com algum problema mais sério, ou até mesmo que tem uma dívida que não consegue pagar?

 

Mas o fato é que, se ele não se conscientiza que a empresa é a continuidade do seu lar, e que é dali que ele tira o sustento para a sua família, ele pode acabar perdendo este emprego por estar cometendo várias gafes no ambiente de trabalho e criar um problema ainda maior.

 

A falta de investimento das empresas nessa conscientização tem levado muitos funcionários ao individualismo e na busca de seus próprios interesses, sendo que na hora da entrevista para o emprego, a preocupação desse funcionário esta em saber quais os benefícios que a empresa tem a oferecer, e não se preocupam em saber o que a empresa espera deles.

 

Mas fique tranquilo. Neste post você vai aprender a administrar melhor todos esses problemas, de uma maneira simples! Por que eu vou te mostrar 3 simples passos que você poderá começar a aplicar agora, para que o seu funcionário se sinta valorizado e  consequentemente mais comprometido com a sua empresa.

 

Afinal, como fazer para ter funcionários comprometidos com a empresa?

Posso apostar que essa deve ter sido uma das repetidas perguntas que você tem feito durante todos os anos de existência da sua empresa, tenho certeza que agora que esta prestes à saber dessas 3 dicas simples que venho dado a maioria das empresas que atendo, você não vai querer ignorá-la, vai?

 

Então preste bastante atenção nessas dicas, que requerem atitudes bem simples, mas com um poder enorme.

 

Passo #1. Faça o seu funcionário te enxergar como amigo e não inimigo.

Infelizmente ainda hoje, o empresário é visto pela maioria dos seus funcionários como o vilão, aquele cara mercenário e egoísta, que só age a seu favor e pensando no seu lucro.

 

Se você acha que passa essa imagem à sua equipe, comece a repensar as suas atitudes, pois o bom líder é aquele que têm aliados e não inimigos. E como fazer isso?

 

  • Mostre aos seus funcionários que você se importa com eles e com os seus problemas, mas em contrapartida, que ele tem obrigações e deveres enquanto profissional dentro da empresa;

 

  • Se o teu funcionário tem algum problema pessoal de urgência para resolver, após avaliar o caso, dê folga para ele. Existem casos que merecem ser avaliados com carinho. Pois como já citei lá e cima, ele pode ter o filho com algum problema de saúde ou até mesmo a esposa, e é melhor ele ter 1, 2, 3 dias de folga, do que acabar se acidentando por falta de atenção e, a empresa ter que arcar com as consequências. Mas, deixe bem claro que ele terá que compensar de outra maneira, esses dias que ele não irá trabalhar. Lembre-se, você também tem problemas, e se sentiria injustiçado se alguém não pudesse compreendê-los.

 

  • Comunique-se de forma clara e objetiva com o seu funcionário: ele precisa entender que é você o Capitão do Barco, mas que ele também pode dar sugestões construtivas e dependendo da sua tarefa ou cargo, até mesmo tomar decisões que não prejudiquem o sistema, ou melhor, o barco.

 

Nós sempre dizemos aos nossos clientes, que a empresa deles é uma grande casa, e que os seus funcionários são os filhos. Para tê-los por perto, você precisa moldá-los! Saber compreender (e não dar tudo), ser amigo e educá-los (dedicarei um tópico exclusivo para discutirmos essa educação).

 

O que você precisa entender com tudo isso que acabei de falar, é que o ser humano age na maioria das vezes pela emoção e, entrando um pouquinho na psicologia, existe um poder para capturar o público, influenciar nas decisões e motivá-los a agir da maneira com que você queira com que eles ajam. E, este poder está relacionado à persuasão, que provem da psicologia social.

 

Através da psicologia da persuasão, nós podemos desenvolver habilidades para exercer influência sobre as decisões das pessoas.

 

O principal objetivo na hora de aplicar a psicologia da persuasão é de conseguir aliados, amigos, ou seja, funcionários mais comprometidos, motivados e por aí vai.

 

Pois quando você faz um favor para alguém, essa pessoa se sente na obrigação de retribuir este favor, para não serem considerados ingratos.

 

Pense em seu dia-a-dia! Por acaso, não é muito mais fácil conseguir que uma pessoa faça algo em que nós estamos interessados, depois de haver recebido um presente (ou uma folga, por exemplo)?

 

Veja bem, usei o exemplo da “folga” aqui apenas para ilustrar a situação, mas que fique bem claro, não estou dizendo que você precisa sair dando folga para os seus funcionários. É você quem sabe, o que dentro da sua empresa, é possível fazer e como dá para agir.

 

Você com certeza deve querer ser visto pelo seu funcionário, como amigo e não como inimigo, porque assim como a psicologia da atração pode exercer um poder positivo no seu dia-a-dia, a falta dele, também pode trazer grandes conflitos.

 

Passo #2. Tenha em sua empresa a política de portas abertas

Uma empresa que faz isso muito bem é Grupo Walmart, que adota a Politica de Portas Abertas, para estimular a comunicação das equipes com as lideranças, encorajando a comunicação de violações às políticas internas ao Código de Ética para a gerencia, ou a área de Recursos Humanos.

 

Em outras palavras você deve fazer o seu funcionário entender que ele também deve participar das tomadas de decisões da empresa.

 

  • Encoraje os a trazer novas ideias, palpites, projetos. Quer alguém melhor do que ele, que esta vendo o problema, sentindo o mercado todos os dias, para solucionar algo que você como empresário, gerente de Recursos Humanos, ou técnico de segurança, não estão vendo?

 

  • Faça uma caixinha de sugestões e coloque na recepção da sua empresa. Tenho plena certeza que as sugestões ou reclamações surgirão para melhorar uma determinada situação.

 

  • Faça todos da sua equipe se conscientizarem das metas diárias, semanais, mensais e até anuais da sua empresa. Quando todos sabem quais são as suas missões e deveres, fica muito mais fácil cobrar os resultados.

 

E este é um dos grandes erros que eu vejo a maioria das empresas cometerem. As metas ficam resguardadas apenas ao Setor Administrativo ou ao Setor Comercial.

 

O seu funcionário precisa sentir que ele tem importância dentro da empresa e que faz parte dessa meta. Caso isso não ocorra, ele vai se sentir apenas mais um e é aí, que você consegue distinguir nitidamente, o bom funcionário, daquele meia boca, que só esta ali, por causa do salário no fim do mês, e não porque esta comprometido com o seu trabalho.

 

Passo #3. Invista na qualificação pessoal e profissional do seu funcionário

Nós acreditamos que uma empresa por si só não move montanhas, e por mais maquinários que tenha, ela ainda precisa de pessoas para manuseá-los. E ter funcionários comprometidos e motivados nos dias de hoje é essencial para o sucesso de qualquer empresa, independente do seu porte.

 

Estamos em um tempo em que não existem milagres, e se você pretende melhorar os resultados da sua empresa, independente da situação econômica atual do país, ter funcionários comprometidos e satisfeitos, e principalmente crescer no próximo trimestre, você precisa investir na sua equipe de trabalho.

 

Somente investindo na capacitação pessoal e profissional dos seus funcionários é que você terá uma equipe motivada, qualificada e principalmente COMPROMETIDA com os resultados da empresa.

 

Treinar e capacitar profissionalmente o seu funcionário, ainda é a única maneira de você reduzir custos dentro da empresa e insatisfações.

 

Funcionário treinado e capacitado sabe qual é o seu papel dentro da empresa… E sabe também que suas ações influenciam diretamente nos resultados da empresa na qual trabalham.

 

Caso o contrário, se não houver este investimento, sua equipe será a mesma:

 

  • A mesma desmotivação;
  • A mesma falta de comprometimento;
  • E talvez os mesmos – resultados – ou até piores – dos últimos anos.

 

E eu tenho certeza que você não quer isso, quer?

 

Pensando nisso criamos um treinamento prático e eficaz que tem como objetivo fazer com que cada participante repense sua atuação na empresa, antecipando-se aos problemas, descobrindo a causa, dando a solução em busca de melhores resultados, assim vendo uma série de problemas no dia a dia.

 

Os Encontros Proativos são treinamentos presenciais que tem como objetivo intermediar na comunicação entre funcionários e líderes de uma empresa, proporcionando assim, a reflexão às mudanças contribuindo no comprometimento organizacional da equipe.
Para destacar-se no mercado não basta ter apenas um produto ou serviço de qualidade, é necessário ter uma equipe motivada, engajada e comprometida com os resultados do seu negócio.

 

É isso que estamos dispostos a fazer por você! Achou interessante, conheça mais sobre os Encontros Proativos e se você for de Curitiba e região metropolitana, solicite uma visita na sua empresa.

 

 

 

Tags:, ,

Visão Sistêmica na Prática: O que é e Como aplicá-la na sua empresa

Provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre este termo “Visão Sistêmica” na gestão empresarial e talvez até tenha dúvidas do seu significado. Mas afinal, na prática, o que é e como aplicá-a na sua empresa? Neste post explicamos de forma simples e divertida o que é Visão Sistêmica na prática e, como a sua empresa pode aplicar esse conceito no dia a dia e quais são os benefícios de se relacionar de forma sistêmica.


 

Antes de começar a te explicar de fato o que significa Visão Sistêmica, quero que você assista e este vídeo e a princípio divirta-se com a música. Só então, é que vamos analisar o que este grupo musical tem a ver com o nosso assunto.

 

 

Este vídeo exemplifica de forma bem fácil e ilustrativa qual é a visão sistêmica que você e uma empresa devem ter nos dias de hoje para se adaptarem a este novo momento.

 

No vídeo, cada indivíduo representa uma parte do sistema (um departamento ou setor, por exemplo), que devem se relacionar entre si de maneira direta ou indireta para que todos juntos, formem um grupo musical e garantam uma música com excelente resultado.

 

Se o vídeo mostrasse somente um deles, provavelmente o resultado não seria tão legal, quanto o resultado do todo. A este fato podemos chamar de visão sistêmica, que é quando o indivíduo compreende qual é o seu papel e atribuições dentro da organização, e como se comunicar com outros setores para que os resultados como um todo, sejam atingidos como o previsto.

 

Aí você deve estar se perguntando: “Ok! Quais são os benefícios de me relacionar de forma sistêmica na minha empresa? ”

 

Por isso vou te mostrar alguns desses benefícios:

 

  1. Tomada de decisão mais estratégica
  2. Avaliação continua para evitar falhas e imprevistos
  3. Melhoria na capacidade da análise crítica
  4. Autoconhecimento
  5. Atingir os resultados e metas
  6. Realizar o trabalho com eficácia e eficiência
  7. Entre outras…

 

Claro que entender a empresa como um organismo vivo e sistêmico não é tarefa fácil, até porque vivemos durante anos em um sistema linear, dividido, onde cada um cuidava do seu quadrado.

 

Mas compreender a empresa como um todo facilita não só o entendimento do seu papel enquanto profissional, como te ajuda a se adaptar em qualquer situação da empresa e do mundo com mais facilidade. Já falamos um pouco sobre essas adaptações neste post aqui: 5 habilidades que o profissional do futuro precisa adquirir.

 

Palma, palma, não “priemos cânicos”  – Já dizia Chapolin Colorado. Apenas abra a sua cabeça e seus olhos para enxergar essa nova visão de mercado e continue acompanhando nossos posts. Tem muito material bom para sair por aqui!

 

____

Tags:

4 grandes sinais que regem as mudanças no mercado econômico que você não deve ignorar

Que o mundo está mudando nós já sabemos, mas será que estamos entendendo de fato, essas mudanças?

Será que nós sabemos para onde caminha a humanidade?

Será que você, enquanto profissional, sabe como se adaptar ou se preparar para este mercado?

 

Neste post quero te dar uma visão ampla sobre quais são as 4 grandes forças que regem as mudanças no mercado econômico e como elas estão impactando as organizações, as profissões e a humanidade. Já vou logo afirmando…  Você não deve ignorá-las.

 

O mundo atual é complexo

 

Até o presente momento já deu para entender e sentir que o mercado de trabalho está mudando e que existem novas habilidades e inteligências extras que o profissional precisa desenvolver para se manter atualizado, além daquelas específicas que são importantes para o desenvolvimento de uma certa atividade ou cargos, como os de um engenheiro, médico e advogado, por exemplo.

 

Mas o mundo atual é complexo e as coisas estão sempre inter-relacionadas, intercaladas, interligadas e interdependentes, ou seja, o mundo está cada vez mais complexo, de fato!

 

Nós estamos em uma Era de Mudança ou em uma Mudança de Era?

“Nós não estamos passando por uma era de mudanças, nós estamos passando por uma mudança de era”. – Murilo Gun.

 

Todo mundo um dia já estudou isso na escola – ainda mais se você, que está lendo este post, pertence ao formato brasileiro do ensino tradicional presente até os dias de hoje – então, apenas para relembrar… Na história da humanidade nós já vivemos três grandes etapas da Revolução Industrial:

 

  • Era da Industrialização Clássica (1900 a 1950)
  • Era da Industrialização Neoclássica (1950 a 1990)
  • Era da Informação (a partir de 1990)

 

Aqui apresento um panorama geral sobre essas três Eras da Revolução Industrial e o reflexo no mercado de trabalho para aquelas organizações que não estão conseguindo se adaptar à essas diferentes eras nos dias de hoje.

 

Para esta última Era, que é a que mais nos interessa neste contexto, alguns autores ainda a chamam de:

  • Era do Conhecimento – Marc Haley
  • Era Caórdica – Dee Kock
  • Era da Colaboração – Dom Tapscot
  • Era da Abundância – Peter Diamonds
  • Era Exponencial – Singularity University
  • Era Pós Digital – Walter Longo
  • Quarta Evolução Industrial – Klaus Schab

 

Não importa os nomes que se dão a este novo momento, o que você precisa entender mesmo, é que as coisas estão mudando com uma velocidade nunca visto antes, e que para sobreviver e se adaptar a este mundo complexo, é necessário mudar a forma de pensar.

 

Aqui listo cinco pontos importantes que te ajudam a entender como começar essa mudança.

 

  1. Aceite que o mundo é complexo e que você vai precisar mudar
  2. Conforme-se que você não conseguirá entender tudo, o mundo é complexo mesmo.
  3. Entender quais são as principais forças que estão moldando o mercado de trabalho.
  4. Analisar quais são as habilidades que você precisa desenvolver para viver e não apenas sobreviver.
  5. Começar!

 

Já dizia o grande físico Albert Einstein:

“Insanidade é fazer as coisas do mesmo jeito esperando resultados diferentes”.

 

4 grandes sinais que regem as mudanças no mercado econômico

Para te ajudar a entender quais são as quatro grandes forças que regem as mudanças no mercado econômico e que podem atingir você e o seu mercado, é necessário entender o que têm acontecido em nosso comportamento e na forma com a qual consumimos produtos e serviços os dias de hoje.

 

1. PLANETA TERRA CHAMANDO…

 

Nunca antes na história da humanidade falou-se tanto na importância de cuidar do Planeta Terra como agora. Nosso Planeta está nos chamando a atenção toda vez que acontece alguma terrível catástrofe natural, e de fato, se não começarmos a cuidar dele agora, não sobreviveremos aqui por muito tempo.

 

Por isso temas como: Economia Compartilhada, Economia Circular, Sustentabilidade, Consumo Consciente e Reciclagem são palavras que as organizações precisam incorporar ao seu plano estratégico como medidas de ação para se manterem competitivas no mercado.

 

2. CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO

 

O mundo está abarrotado de pessoas, e estamos vivendo cada vez mais em um busão lotado em horário de pico, se não fosse pelo fato de que a nossa situação é um pouco pior, já que a lotação é constante.

 

Em alguns países do mundo existe uma alta taxa de natalidade, enquanto em outros, o aumento da expectativa de vida. No meio do caminho, jovens cruzam com seus avós, já aposentados, nos corredores da mesma empresa como colegas de trabalho. Que mudança hein!

 

Mais uma vez na história da humanidade este fato é inédito, uma miscelânea de gerações em diversos contextos sociais, principalmente no ambiente de trabalho e, a necessidade de adaptação a fim de melhorar a convivência entre elas.

 

Além é claro dos novos tipos de relacionamentos tanto no contexto familiar, quanto no profissional que acabam surgindo.

 

De olho nessas diversidades de informações e necessidades, quantas profissões novas não podem surgir? Fica aí uma questão a ser respondida por você.

 

A matemática ainda continua sendo simples: Mais pessoas, somado a mais problemas a serem resolvidos é igual a mais soluções. Pense nisso!

 

3. AUTOMOAÇÃO

 

Todo trabalho que for linear, repetitivo e programado vai sofrer um impacto imediato, por menor que seja.

 

Pensa rápido: Quantas profissões que você conhece foram extinguidas ou substituídas por uma máquina nos últimos 20 anos?

 

Resposta: Datilógrafo, Caixas de banco e de supermercados, Telemarketing, Call Center (aqueles em que as pessoas já eram robôs antes mesmo de serem substituídos por um) e por aí vai.

 

Estima-se que em 2030 para cada dez empregos, quatro serão extinguidos do mapa e, os outros seis, de alguma forma, serão impactados por toda essa automação.

 

4. CONECTIVIDADE

 

Uma frase muito marcante nos anos 80 foi a do Velho Guerreiro Chacrinha que dizia: “Quem não se comunica se trumbica” e outra que pode se tornar marcante em pleno século XXI é a inventada por mim mesma: “Quem não se conecta fica – literalmente- perdido”.

 

Caso tenha batido palma…Obrigada! De nada.

 

Tudo hoje, se pararmos para analisar está conectado a algo. Estamos cada vez mais dependentes da tecnologia e conectados a ela. Até pessoas serem marcadas com um chip – que até então era absurdo de pensar – já estamos considerando.

 

O mundo dos “ Os Jetsons” está cada vez mais próximo de nós! E ainda teve gente que duvidava que uma família em 2062 pudesse viver com grandes avanços tecnológicos, como carros voadores, cidades suspensas, trabalho automatizado, toda a interatividade de aparelhos eletrodomésticos e de entretenimento, robôs como criados e tudo o que se pode imaginar para o futuro.

 

Hoje, 2062 está logo aí, e já é possível imaginar tudo isso e muito mais. Mas em 1962 – ano da primeira exibição do desenho – era um absurdo pensar que 56 anos à frente, aconteceriam todas essas transformações.

 

Ouso a dizer que se nesta época existisse a Inquisição Santa, a dupla Hanna-Barbera certamente teriam sido queimadas na fogueira santa acusadas de bruxaria. Só pode!

 

RESUMINDO…

Então para encerrarmos este capítulo, as quatro grandes forças que já estão acontecendo, aqui e agora, e impactando na mudança significativa dos nossos hábitos são: Cuidado com o Meio Ambiente, Crescimento da População, Automação e Conectividade.

 

Agora basta saber, quais são as novas habilidades que você precisa desenvolver para se adaptar a este mundo complexo… Mas este é assunto para o post da semana que vem!

 

Tags:

treinamentos-comportamentais

Treinamentos Comportamentais: O que são e como influenciam no trabalho

Resumo: Neste post você entenderá o que são treinamentos comportamentais e como eles influenciam nos resultados da sua equipe e empresa.


 

Ter um excelente profissional vai muito além das suas habilidades técnicas, em um ambiente corporativo, também é necessário desenvolver certas aptidões relacionadas ao comportamento. Diploma e habilidades técnicas nem sempre são sinônimos de resultados positivos nas organizações.

 

A solução para este profissional competente tecnicamente são os treinamentos comportamentais que lhe possibilitarão adquirir e/ou desenvolver novas competências como criatividade, empatia, comunicação assertiva, inteligência social, que facilitará na sua autogestão e na gestão das pessoas.

 

O grande objetivo dos treinamentos comportamentais é desenvolver bons hábitos e disciplina na sua equipe. Eles são baseados em técnicas e atividades que estimulem aspectos emocionais e motivacionais do seu capital humano, além de contribuir para um bom ambiente de trabalho e para o cumprimento das regras da empresa, assegurando o bem estar do funcionário e mais resultados para o seu negócio.

 

Entre os treinamentos essenciais para a sua equipe destacamos:

 

  1. Comunicação
  2. Liderança
  3. Inteligência Social e Organizacional
  4. Trabalho em Equipe
  5. Motivação
  6. Negociação

 

Vamos entender um pouco sobre cada um desses tópicos listados.

 

1. Comunicação Assertiva

A grande maioria dos problemas de uma empresa começa na comunicação, seja pela falta dela ou até mesmo por interpretações erradas ocasionadas pela má comunicação.

 

Entretanto, o comportamento do líder concretiza a sua forma de comunicação. Acreditamos que uma comunicação assertiva fortalece equipe e liderança, pois traduz o nível de inteligência social do líder e sua capacidade de engajamento com sua equipe.

 

Existem 5 verdades absolutas que caracterizam a comunicação humana e conhecê-las passa ser essencial na interação de qualidade entre os colaboradores de uma empresa, por isso sugerimos para que você melhores a sua comunicação os seguintes conteúdos:

 

portfólio-de-palestras

 

2. Liderança

“Líder forte equipe forte, líder fraco equipe fraca”

Elen Milek – Psicodramatista e Gestora de Grupos

De nada adianta ser um líder tecnicamente bom, se este não consegue motivar, engajar e comprometer a equipe em prol dos resultados que a empresa espera ter.

 

Cabe ao líder ensinar seus liderados, já que suas competências também serão medidas pelos resultados que a sua equipe apresenta. É característica do líder de sucesso ter eficiência na autogestão por meio do autoconhecimento para então fazer a Gestão da sua Equipe com eficácia e eficiência.

 

Sugerimos para o seu desenvolvimento como líder os seguintes conteúdos:

 

 

3. Inteligência Social e Organizacional

Muito da visão sistêmica de uma empresa está ligado a Inteligência Social, principalmente no que diz respeito ao fato de saber lidar com conflitos, clientes, parceiros, líderes, etc, no dia a dia.

 

A definição de Inteligência Social segundo o Wikipédia, é a aptidão que um indivíduo tem de entender e reagir adequadamente a seu meio social e desenvolver relações saudáveis e produtivas com outras pessoas, já a de Inteligência Organizacional trata-se da capacidade de ler  e entender os ambientes sociopolíticos, de aprender a praticar a cultura, de entender os ritos, mitos e heróis de cada organização” segundo a matéria na revista Você S/A de Agosto de 2016.

 

Ou seja, são conceitos pouco ou quase nada ensinados em matérias de escolas e universidades, mas de muita importância para este novo perfil profissional que o mercado de trabalho tem exigido.

 

4. Trabalho em Equipe

Desde que o mundo é mundo faz se necessário a ajuda do outro para garantir a sobrevivência da espécie humana. Nas empresas não é diferente.

 

O trabalho em equipe é necessário quando um grupo de pessoas resolve criar um esforço coletivo para resolver um determinado problema que suprem os anseios da corporação garantindo também, a satisfação de todos os envolvidos dentro do sistema.

 

Parece simples mas não é. Infelizmente a grande maioria das empresas nas quais atendemos sofrem com a falta de união e engajamento entre as equipes, porque trabalham isoladas de forma departamentalizada, esquecendo-se que a departamentalização serve para separar as áreas da empresa e não as informações.

 

Por isso treinamentos em que os gestores unam as equipes para o compartilhamento de informações a fim de melhorar o engajamento entre os setores e principalmente, ativar entre os participantes, a importância do olhar sistêmico e não departamentalizado, faz se necessário de tempos em tempos.

 

5. Motivação

O grande mal das empresas é achar que uma única palestra de motivação vai resolver o problema da vida daquela pessoa desmotivada, e sinto lhe dizer que isso não vai acontecer. Elas são importantes sim, para dar aquele “chacoalhão” nos desmotivados de plantão, mas não é a solução para os problemas da sua empresa. 

 

Até porque se a desmotivação é um fator recorrente da empresa, é necessário (mais do que urgente) entender de onde vem esse sintoma para trabalhar na causa. Pela nossa experiência, muito provavelmente a sua política interna é que esteja desmotivando esse funcionário, por isso que eu afirmo que uma palestra motivacional isolada causará efeito momentâneo e não a longo prazo.

 

Aqui na Garbor in Company temos um lema de que “Motivação é igual a banho, precisa ser uma prática constante”. Por isso aconselhamos nossos clientes a terem treinamentos e palestras contínuas dentro da empresa como os Encontros Proativos, por exemplo, para que na medida que trabalhamos a causa, também amenizamos os efeitos colaterais que incluem a desmotivação.

 

6. Negociação

Estamos vivendo na Era da Informação Digital onde as “Relações Comerciais” são muito mais importantes do que a “Transação
Comercial” e negociar, nos dias de hoje, implica em saber se relacionar com o seu cliente, ajudando-o a resolver seus problemas para então ele comprar o seu produto e/ou serviço.

 

Costumamos dizer que muito mais do que aprender “A técnica de vendas perfeita”, você precisa conhecer muito bem o seu negócio respondendo as seguintes perguntas:

 

  • POR QUE  você faz o que faz?
  • COMO você faz o que faz?
  • Para QUEM você faz?

 

Este é um conceito criado pelo especialista em liderança Simon Sinek, que o chama de Golden Circle (ou, em português, Círculo Dourado) que tem como objetivo criar e desenvolver o valor de uma nova ideia, negócio ou campanha. As pessoas hoje não compram produtos, elas compram causas e experiências.

 

As técnicas de negociação são importantes? Com toda certeza, mas elas são apenas ferramentas que podem ser adaptadas ao seu negócio, mas não são “verdades absolutas” e nem garantia de que vai funcionar para o seu cliente. Por isso é muito importante você entender o seu negócio para depois adaptar a ferramenta de negociação à ele.

 

E outra coisa muito importante… Muito mais do que ferramentas de venda, a sua empresa precisa de pessoas estratégicas ocupando a posição de negociação. O seu cliente com toda certeza vai preferir sem bem atendido do que ser persuadido por uma estratégia de vendas qualquer – #ficaadica.

 

Conclusão

Não tem como fugir dos treinamentos comportamentais se você, enquanto empresa ou profissional quiser continuar ativo no mercado de trabalho. Já estamos vendo e vivendo essa nova era da informação e principalmente da robotização, por isso faz se necessário cada vez mais, desenvolver as habilidades comportamentais que são inerentes ao “ser humano” na sua equipe de trabalho.

 

Olhar apenas um bom currículo com habilidades técnicas invejáveis não é mais garantia de que você terá funcionários incríveis na equipe, agora… juntar habilidade técnica + habilidade comportamental (que apresentamos neste post), é que serão chave do sucesso ara a sua empresa.

 

 

Abraços!

Tags:,

educacao-corporativa

Você já ouviu falar em Educação Corporativa?

Muito mais do que um simples treinamento empresarial ou qualificação da mão-de-obra oferecido por uma empresa aos seus funcionários, a educação corporativa visa através do aprendizado contínuo, reciclar o conhecimento de líderes e liderados para que melhor aproveitem o tempo gastos nas tarefas do dia-a-dia e conquistem maiores objetivos.

 

Para isso é importante entender que a empresa não é a única detentora do conhecimento e, ao incentivar seus funcionários na busca do mesmo, estão despertando o potencial de cada um e abrindo novos caminhos para a inovação. Pois, equipe mais qualificada, valorizada e motivada, significa resultados mais satisfatórios em todos os setores da empresa.

 

Como se destacar no mercado de trabalho?

 

Em um mundo tão competitivo como o que vivemos nos dias de hoje, para destacar-se no mercado de trabalho não basta ter apenas um produto ou serviço de qualidade, é necessário ter uma equipe motivada, engajada e comprometida com os resultados do seu negócio.

 

Para que o cliente enxergue o seu potencial enquanto empresa, a sua equipe precisará ter enxergado isso antes. Dificilmente vendemos bem uma ideia sem à ter comprado antes.

 

Por isso instalar uma cultura de aprendizado e compartilhamento dentro de uma empresa torna-se necessário e até mesmo um diferencial competitivo para às empresas que buscam por crescimento, por isso criamos os Encontros Proativos.

 

O que são os Encontros Proativos?

Os Encontros Proativos tem como objetivo intermediar na comunicação entre funcionários e líderes de uma empresa, proporcionando assim, a reflexão às mudanças contribuindo no comprometimento organizacional da equipe.

 

É um pacote de treinamentos que contêm seis (6) encontros, sendo o primeiro para a aplicação da Pesquisa de Clima Organizacional e cinco (5) Treinamentos Contínuos em 5 áreas distintas – áreas essas que toda e qualquer empresa precisa trabalhar. Para cada área um tema de treinamento será desenvolvido levando em consideração os resultados da Pesquisa de Clima Organizacional e em comum acordo, com as diretrizes de quem contrata o serviço:

 

  • Motivação: Mostramos aos funcionários a importância de ter mente e espírito aberto às mudanças, adaptando-se as exigências do novo mercado. 

 

  • Processos: Despertamos no grupo a consciência da participação, motivação e comportamento de todos para que a empresa atinja os objetivos planejados. Para termos o engajamento de todos no processo de melhoria, é necessário sensibilizar fortemente as pessoas para às ferramentas de gestão utilizadas na empresa e aos novos desafios. 

 

  • Comportamento: As grandes habilidades do futuro que chamamos de “Soft Skils” estão ligadas exclusivamente ao comportamento do indivíduo no ambiente de trabalho e refletem na forma dele se relacionar e interagir com as pessoas. Envolvem aptidões mentais, emocionais, sociais que afetam os relacionamentos no ambiente corporativo e, por consequência, a produtividade da equipe, por isso falamos delas nesse encontro.

 

  • Liderança: Neste treinamento sua equipe de líderes encontrará respostas para melhorar a gestão da sua equipe, bem como motivá-los a desempenharem suas funções.

 

  • Trabalho em Equipe: Colocar todos na sua empresa para pensar na melhoria do seu negócio. Este encontro foi desenvolvido para que sua equipe reflita sobre as oportunidades de gerar ainda mais valor para sua empresa, pois terão uma experiência de aprendizado sobre ferramentas da Qualidade que tornará a atitude do seu time muito mais proativa.

portfólio-de-palestras

 

O maior objetivo dos Encontros Proativos é fazer com que cada funcionário repense sua atuação na empresa, antecipando-se aos problemas, descobrindo a causa, dando a solução em busca de melhores resultados, assim evitando uma série de problemas no dia a dia – E quantos problemas que acontecem que poderiam ser evitados com um pouco mais de conversa hein!

 

Quais são as vantagens de treinar uma equipe de funcionários

As vantagens são enormes, tanto para a empresa quanto para o mercado, mas aqui listo as que nós destacamos como as principais:

 

  • Mais Engajamento: Ao treinar seus colaboradores, a empresa esta indiretamente convidando-os a se engajarem nos objetivos e estratégias.

 

  • Mais Resultados: Funcionários valorizados, comprometidos e motivados no ambiente de trabalho, tendem a trazer mais resultados para a empresa.

 

  • Mais Vendas: Sua empresa vai entrar na crise ou ficar fora dela? A partir do momento que a equipe entende o mercado econômico e suas mudanças, fica mais fácil encorajá-los a buscar novas alternativas e estratégias de vendas.

 

  • Trabalho em Equipe: Um bom líder sabe que o trabalho em equipe é essencial para alcançar os resultados, e buscar a cooperação e parceria dos seus funcionários é extremamente importante para qualquer empresa.

 

  • Equipe Motivada: Pessoas motivadas com vontade de crescer e com a autoestima profissional elevada, ainda é a melhor forma para aumentar a produtividade e a eficiência no trabalho.

 

  • Redução de Custos: Reduza ou elimine custos de recrutamento e seleção de pessoas, e também com desperdícios de materiais, que não estão sendo utilizados da maneira correta, mudando o comportamento da sua equipe diante desses custos extras.

 

Ficou interessado?

A Garbor in Company é uma empresa de treinamentos e palestras que atua no mercado desde 2012 e, trazemos em nossa bagagem, uma vasta experiência no que tange ao desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo nas organizações.

 

Nossos treinamentos e palestras são fundamentados em cima de três pilares essenciais que entendemos  fazerem parte do desenvolvimento do indivíduo: Família, Empresa e Sociedade. Por isso acreditamos na força do coletivo e na importância da busca contínua por desenvolvimento.

 

Desta maneira, sempre com viés criativo e com uma linguagem de fácil compreensão, nossos treinamentos e palestras são desenvolvidos a fim de despertar a criatividade e o engajamento em sua equipe, com o objetivo de promover transformações no comprometimento organizacional de todos os envolvidos na empresa, e com os Encontros Proativos não poderia ser diferente.

 

Se você é de Curitiba ou região Metropolitana e ficou interessada em levar este programa até sua empresa ou saber mais informações, clique no botão abaixo e preencha o formulário que estraremos em contato.

 

QUERO MAIS INFORMAÇOES SOBRE OS ENCONTROS PROATIVOS

 

Agraços!

 

Tags: